segunda-feira, 18 de agosto de 2014

AGREDIDA PELO JORNAL NACIONAL, DILMA SE DEFENDE

:
247 - Com posturas até então desconhecidas do grande público, os apresentadores William Bonner e Patrícia Poeta deixaram a elegância de lado e partiram para o ataque sobre a presidente Dilma Rousseff, na entrevista ao Jornal Nacional concedida no Palácio da Alvorada, em Brasília, nesta segunda-feira 18. Ambos estavam vestidos de preto, indicando luto pela morte do ex-governador Eduardo Campos, cujo último compromisso eleitoral foi a entrevista da quarta-feira 13. Eles não dirigiram nenhuma pergunta sobre o fato à presidente.
Bonner parecia o mais irritado, mas Patrícia não quis ficar atrás. Ela chegou a apontar, em riste, o dedo para a face próxima da presidente, insistindo que o governo dela e do ex-presidente Lula não fizeram "nada" na área da saúde. A presidente conseguiu dizer, entre interrupções da entrevistadora, que hoje, ao contrário do passado, o atendimento de saúde pública atinge 50 milhões de brasileiros.
No início da entrevista, Bonner perguntou, por mais de um minuto, sobre "corrupção e malfeitos", citando uma série de ministérios e também a Petrobras.
- Qual a dificuldade de formar uma equipe de governo com gente honesta?, questionou ele, mais ao estilo botequim de esquina do que o que emprega normalmente, todos os dias, à exceção dos domingos, na bancada do JN. O jogo de apertar a presidente ficou claro desde o primeiro momento.
A própria Dilma percebeu e não se intimidou com a postura da dupla. Procurou responder a todas as perguntas e manter a calma, mas não dando as respostas que Bonner e Patrícia esperavam. Dilma tinha argumentos na ponta da lingua.
- Fomos o governo que  mais estruturou o combate à corrupção e aos malfeitos, respondeu ela.
- Nenhum procurador geral da República foi chamado no meu governo de engavetador geral da República", acrescentou, numa referência nada sutil a Geraldo Brindeiro, dos tempos do governo Fernando Henrique.
BONNER NUNCA FIZERA PERGUNTAS TÃO LONGAS E EM TOM TÃO DURO
O âncora do Jornal Nacional insistiu no tema da corrupção, usando cada vez mais ênfase sobre a presidente:
- Um grupo de elite do seu partido foi condenado por corrupção, são corruptos, posso dizer por que a Justiça já julgou, mas o seu partido protegeu essas pessoas. O que a sra. acha dessa postura do seu partido?
Dilma não respondeu diretamente, optando por lembrar sua posição institucional:
- Enquanto eu for presidente da República, não externarei opinião pessoal sobre decisões do Supremo Tribunal Federal. Eu tenho a minha opinião, mas não vou externá-la.
- Mas o que a sra. diz sobre a postuta do seu partido? A sra. não diz nada?
- Olha, Bonner, eu não vou entrar nisso de me manifestar contra a decisão de um poder constitucional. Isso é muito delicado, merece o meu maior respeito.
PATRÍCIA APONTOU O DEDO EM RISTE PARA A  PRESIDENTE
Patrícia, que até então estava calada, perguntou sobre saúde, afirmando que "nada fora feito" nos governo Dilma e Lula, e que "as filas se multiplicam nos hospitais e postos de saúde". Dilma, outra vez, procurou responder sem aceitar a indagação como provocação.
Patrícia não gostou do que ouviu, e lá veio Bonner atacar de novo:
- A sra. considera justo culpar ora a crise econômica internacional, ora os pessimistas pelo baixíssimo crescimento da economia brasileira, pela inflação alta?
- A inflação cai desde abril, Bonner, agora mesmo saiu um dado oficial mostrando que houve zero por cento de aumento de preços em julho. Por outro lado, todos os dados antecedentes ao segundo semestre, aqueles que anunciam o que vai acontecer na economia, mostram que haverá crescimento em relação ao primeiro semestre.
Bonner não pareceu satisfeito com a resposta, mas em razão do tamanho das perguntas que havia feito antes, percebeu que o tempo de 15 minutos estava estourando. Foram, de fato, questionamentos quilométricos os que ele fez.
- Eu vou garantir um minuto para a sra. encerrar, disse ele, visivelmente insatisfeito.
- Obrigado, Bonner, eu quero dizer que acredito no Brasil, reiterou Dilma, que ainda foi mais duas vezes interrompida para que fosse cumprido o tempo estabelecido.
- Eu compreendo, vou suspender a minha fala, encerrou Dilma, com classe, diante dos entrevistadores que se mostraram em pleno ataque de nervos.

"PSB NÃO TOMARÁ DECISÃO COM BASE EM PESQUISAS"

: roberto amaral
Pernambuco 247 - O presidente Nacional do PSB, Roberto Amaral, disse, nesta segunda-feira (18), no Recife, que o partido não tomará nenhuma decisão acerca da chapa presidencial, que será alterada em função da morte de Eduardo Campos, tendo como base pesquisas de intenção de voto.
De acordo com pesquisa divulgada nesta segunda-feira pelo Datafolha, Marina Silva, que era vice na chapa socialista, aparece com 21% da preferência do eleitorado, estando empatada tecnicamente com o senador mineiro Aécio Neves (PSDB). A presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, tem 36%. Amaral voltou a afirmar que a viúva de Campos, Renata Campos, pode ser candidata ao que quiser e taxou de "idiotas" as especulações de que teria resistências contra o nome da ex-senadora.
"Não tomamos decisão em função de pesquisa. Respeito muito os institutos, mas escolhemos nossos candidatos em função dos seus perfis. Nós temos um projeto que quer combater a injustiça social", ressaltou Amaral. Sobre a pesquisa Datafolha, o dirigente foi enfático. "Os números que nós tínhamos há pouco, antes da tragédia, eram diferentes desses, e nós tínhamos a mesma esperança que temos hoje da vitória", disse.
Sobre uma possível resistência sua ao nome de Marina Silva encabeçar a chapa socialista, Amaral atacou "Isso só pode ter partido de um idiota. O PT não procurou para aproximação. Meu pai dizia: 'o boi só fura a cerca que conhece'. Quem vai dizer o melhor nome é a comissão nacional", disparou.
Segundo ele, o partido só tomará uma decisão sobre o assunto na próxima quarta-feira (20), após uma reunião da Executiva Nacional, em Brasília. "Na quarta-feira vamos decidir todos os pontos presentes do partido, qual a melhor maneira de manter viva essa mensagem que Eduardo deixou, mas não abandonar o país. Não deixaremos o país", afirmou. Ele também negou ter preferência por algum nome específico para ocupar a vaga de vice.

DATAFOLHA: MARINA PASSA DILMA NO 2° TURNO

:
A ex-senadora Marina Silva apareceu em empate técnico na corrida presidencial com Aécio Neves (PSDB) no primeiro turno e com Dilma Rousseff (PT) no segundo turno, nas duas situações à frente dos adversários dentro da margem de erro, mostrou a primeira pesquisa eleitoral após a trágica morte do candidato Eduardo Campos (PSB).
Segundo o Datafolha, Marina, que deve ser confirmada candidata do PSB à Presidência da República nesta semana, aparece na disputa com 21 por cento das intenções de voto, acima dos 20 por cento de Aécio e atrás de Dilma, com 36 por cento.
Já na simulação de segundo turno, Marina fica numericamente à frente de Dilma, com 47 por cento das intenções de voto contra 43 por cento da presidente que busca a reeleição.
No primeiro turno contra Aécio e no segundo contra Dilma, trata-se de uma situação de empate técnico, já que a margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.
De acordo com o Datafolha, em um segundo turno entre Dilma e Aécio, a presidente venceria por 47 por cento a 39 por cento, o que representa uma vantagem da petista sobre a sondagem anterior em julho, que mostrava 44 por cento a 40 por cento, com empate técnico naquela ocasião dentro da margem de erro.
Os números do Datafolha afastam a hipótese de conclusão da eleição presidencial no primeiro turno, porque Marina tem quase três vezes as intenções de voto de Campos, que aparecia com 8 por cento, com a ex-senadora atraindo eleitores que antes se diziam sem candidato.
O presidenciável do PSB morreu na última quarta-feira, dia 13, em um acidente de avião no litoral de São Paulo. A morte repentina de Campos colocou Marina, sua vice na chapa, como nome natural a assumir a candidatura pelo PSB.
A entrada da ex-senadora na corrida presidencial não tira votos dos dois principais adversários: Dilma aparecia com os mesmos 36 por cento e Aécio com 20 por cento na pesquisa anterior feita pelo Datafolha.
As intenções de voto nulo ou em branco caíram de 13 por cento na pesquisa anterior para 8 por cento, enquanto os indecisos recuaram de 14 por cento para 9 por cento agora, disse o Datafolha.
O Datafolha ouviu 2.843 eleitores em 176 municípios em 14 e 15 de agosto. Números da pesquisa foram disponibilizados em reportagem no site do jornal Folha de S. Paulo na madrugada desta segunda-feira.

domingo, 17 de agosto de 2014

Veja as fotos da missa campal em homenagem a Eduardo

Marcada pela emoção, assim pode ser definida a missa campal celebrada em homenagem a Eduardo Campos, Carlos Percol e Alexandre Severo. Confira algumas imagens da celebração.





















fotos do blog do Magno

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Profecia sobre Eduardo Campos em igreja evangélica



O candidato Eduardo Campos esteve presente na E.B.O na COMADALPE no templo da Central da Assembleia de Deus no Pernambuco. Ele que era filho do presbítero da igreja Maximiano Accioly Campos, que faleceu em 6 de agosto de 1998, aos 56 anos. Também pernambucano, o escritor e poeta morreu de complicações cardíacas, segundo reportagem da revista Época. Campos foi educado na assembleia de Deus e há registro que liderou o conjunto de jovens por 4 meses.


Porém, a atenção dos presentes foi para uma cena de profecia em que uma das irmãs enquanto cantava dirigiu ao candidato, pôs a mão sobre sua cabeça, bateu no peito com a seguinte frase:

"Grande será o cortejo para ti, homem de honra. A tua vida está em minhas mãos, e na esteira do tempo, determinarei os teus dias"


Após citar tais palavras, a cantora cantou, e tomou seu assento. A expressão do candidato Eduardo Campos não foi das boas, ficou pensativo e o tempo todo com a cabeça baixa ao lado do seu assessor mesmo que parte do povo presente acreditava ser uma referencia a sua vitória presidencial. 

fonte Gospel Revista.

COM 43%, JOÃO PAULO LIDERA DISPUTA PELO SENADO

Tarsio Alves:
O deputado federal e candidato ao Senado pelo PT, João Paulo, assegura a primeira posição nas intenções de voto, com 43% do eleitorado, seguido pelo ex-ministro da Integração Nacional Fernando Bezerra Coelho (PSB), com 16%. Os dados são da pesquisa Datafolha, encomendada pela TV Globo e pela Folha de S. Paulo.
O petista integra a a coligação Pernambuco Vai Mais Longe (PT/PTB/PDT/ PTdoB/PRB/PSC), que tem como candidato ao governo o senador Armando Monteiro (PTB), e como vice, o deputado federal Paulo Rubem (PDT). O palanque terá cinco minutos e 14 segundos no guia eleitoral.
A coligação de FBC é a Frente Popular, formada por 21 partidos, a maior da história de Pernambuco. A chapa do ex-ministro tem como candidato ao governo estadual o ex-secretário da Fazenda Paulo Câmara (PSB), e como vice, o deputado federal Raul Henry (PMDB).
Em terceiro lugar na disputa pelo Senado está a candidata do PSTU, Simone Fontana, com 3% dos votos. Na quarta colocação aparece Albanise Pires, do PSOL, com 1%. Brancos e nulos somaram 14%, e não sabem ou não responderam, 23%. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos, e o nível de confiança, 95%.
A pesquisa ouviu 1.198 eleitores a partir dos 16 de idade em 42 municípios pernambucanos, nos dias 12 e 13 de agosto. O levantamento está registrado no Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) sob o número 00017/2014, e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número 00360/2014.

DATAFOLHA/PE: VITÓRIA DE ARMANDO MONTEIRO NETO COM 47%

:
O senador Armando Monteiro Neto (PTB) seria eleito hoje governador de Pernambuco no primeiro turno, de acordo com pesquisa Datafolha desta sexta-feira. Ele aparece com 47% das intenções de voto, seguido de Paulo Câmara, afilhado político do ex-governador Eduardo Campos (PSB) com 13%. Os outros quatro candidatos somam 5%.

Pesquisa ouviu 1.198 eleitores, entre os dias 12 e 13. A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.
Ex-presidente da CNI (Confederação Nacional da Indústria), Monteiro é o candidato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Estado.

Datafolha avaliou ainda o governo de João Lyra Neto (PSB), que assumiu o cargo há quatro meses, com a licença de Campos para a disputa presidencial. Gestão foi aprovada por 24% dos entrevistados;12% o consideram ruim ou péssimo.

Com a morte precoce do presidenciável socialista, PSB de Pernambuco perde seu maior cabo eleitoral.

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

DILMA FARÁ HOMENAGEM A EDUARDO CAMPOS EM PROGRAMA DE TV

:
247 – Um dos filmes da propaganda eleitoral da presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, terá uma homenagem a Eduardo Campos, que disputaria a presidência pelo PSB. O horário eleitoral gratuito começa na próxima terça-feira 19. Campos sofreu uma morte trágica na manhã de ontem, após a queda da aeronave em que estava, no litoral paulista. Nenhuma das sete pessoas a bordo sobreviveu.
A mensagem deverá ser gravada pelo ex-presidente Lula, segundo reportagem da Folha de S. Paulo. O cacique petita foi padrinho político de Campos, era amigo dele e ficou bastante abalado com a morte. Ele fazia gravações para a propaganda de Dilma quando soube do acidente nesta quarta-feira. O ex-presidente cancelou a filmagem e toda a agenda dos próximos dias para acompanhar o velório no Recife, que deve acontece no fim de semana.
Bastante emocionada, a presidente Dilma também fez um pronunciamento para comentar a morte de Campos. "O Brasil está de luto", disse a presidente. "O Brasil perde uma jovem liderança com um futuro extremamente promissor pela frente. Um homem que poderia galgar os mais altos postos do país", acrescentou a presidente, dizendo que "fomos afetados pela fragilidade da vida, mas também pela força do exemplo das pessoas".
Leia abaixo nota de pesar divulgada por Lula e pelo Palácio do Planalto, antes do pronunciamento de Dilma:
Como todos os brasileiros, estou profundamente entristecido com a trágica morte de Eduardo Campos. Um grande amigo e companheiro.
Conheci Eduardo através de seu avô, Miguel Arraes, um memorável líder das causas populares de Pernambuco e do Brasil.
O país perde um homem público de rara e extraordinária qualidade. Tive a alegria de contar com sua inteligência e dedicação nos anos em que foi nosso ministro de Ciência e Tecnologia. Ao longo de toda sua vida, Eduardo lutou para tornar o Brasil um país mais justo e digno.
O carinho, o respeito e a admiração mútua sempre estiveram presentes em nossa convivência.
Nesse momento de dor, eu e Marisa nos solidarizamos com sua mãe, Ana Arraes, sua esposa, Renata, seus filhos e toda a sua família, amigos e companheiros.
Também prestamos solidariedade às famílias dos integrantes da sua equipe e dos tripulantes que falecerem nesse terrível acidente.
Luiz Inácio Lula da Silva

Nota do Planalto
O Brasil inteiro está de luto. Perdemos hoje um grande brasileiro, Eduardo Campos. Perdemos um grande companheiro.
Neto de Miguel Arraes, exemplo de democrata para a minha geração, Eduardo foi uma grande liderança política. Desde jovem, lutou o bom combate da política, como deputado federal, ministro e governador de Pernambuco, por duas vezes.
Tivemos Eduardo e eu uma longa convivência no governo Lula, nas campanhas de 2006, 2010 e durante o meu governo.
Estivemos juntos, pela última vez, no enterro do nosso querido Ariano Suassuna. Conversamos como amigos. Sempre tivemos claro que nossas eventuais divergências políticas sempre seriam menores que o respeito mútuo característico de nossa convivência.
Foi um pai e marido exemplar. Nesse momento de dor profunda, meus sentimentos estão com Renata, companheira de toda uma vida, e com os seus amados filhos. Estou tristíssima.
Decretei luto oficial de 3 dias em homenagem à memória de Eduardo Campos. Determinei a suspensão da minha campanha por 3 dias.
Está cancelada a entrevista que seria concedida ao Jornal Nacional.
Durante os três primeiros anos do governo Dilma, o PSB, de Campos, foi um dos principais aliados do governo Dilma.

PSB PODE TER MARINA E RANDS NA NOVA CHAPA


O Partido Socialista Brasileiro tem poucos dias para decidir se continua na corrida pela presidência da República, após a morte do ex-governador Eduardo Campos. Apesar das diferenças entre os socialistas e os que fazem a Rede de Sustentabilidade, o mais provável é que Marina Silva seja candidata, assumindo o lugar do titular. Seria até o desrespeito à memória do líder do partido não indicar a ex-ministra, escolhida pelo próprio Eduardo para ser a sua vice.

Caso se confirme a candidatura de Marina, o nome mais cotado para ser o vice na chapa é o do advogado pernambucano Maurício Rands, ex-deputado federal pelo PT e muito ligado ao ex-governador do Estado.

Blog de Roberto Almeida.

PML: FATOR MARINA COMPLICA CAMPANHAS DE AÉCIO E DILMA

:
247 - Em artigo sobre o impacto da morte precoce de Eduardo Campos, Paulo Moreira Leite, diretor do 247 em Brasília, avalia que a eventual entrada de Marina Silva na disputa eleitoral cria problemas tanto para o tucano Aécio Neves, como para a presidente Dilma Rousseff.
No texto "É fácil entender por que os conservadores preferem Marina", ele aponta dificuldades imediatas para Aécio no primeiro turno e problemas para Dilma num segundo turno.
"A falta de cerimonia exibida por tantos colunistas conservadores para emplacar Marina Silva de qualquer maneira como candidata presidencial do PSB, menos de 24 horas depois da morte de Eduardo Campos, é um sintoma de vários elementos da campanha de 2014. O maior é o receio de que Aécio Neves já tenha chegado a seu limite eleitoral – muito longe daquilo que seria necessário para dar a seus aliados esperanças reais de vencer o pleito – e é preciso encontrar um atalho para tentar derrotar Dilma. Desse ponto de vista, a oportunidade-Marina veio a calhar", diz ele.
Segundo PML, Aécio estaria correndo o risco de não disputar o segundo turno. "A popularidade de Marina provoca justo temor no PSDB, pois pode transformar-se numa candidatura capaz de atropelar Aécio e jogá-lo para terceiro lugar e fora da campanha no segundo turno, o que seria, para os tucanos, uma derrota pior que todas as outras desde 2002", afirma.
Na sua análise, Dilma também perde, em razão dos riscos que um incerto segundo turno trariam para a sua reeleição. "Os petistas sempre estiveram convencidos de que, num segundo turno, a maioria dos parlamentares, dirigentes e eleitores do PSB não serão capazes de abandonar a própria história para votar no PSDB, que sempre denunciaram como partido conservador, e farão o caminho de volta para uma aliança com o PT. Era com essa possibilidade que Dilma e Lula sempre trabalharam nos últimos meses. Evitaram atitudes hostis e indelicadas, reservado a artilharia mais pesada para Aécio. Qualquer mudança, neste horizonte, irá atrapalhar os planos de Dilma".
Leia, a íntegra, no blog de Paulo Moreira Leite.

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Confirmada a morte de Eduardo Campos

O candidato à Presidência, Eduardo Campos (PSB), morreu na manhã de hoje. Eduardo estava a bordo de um jatinho que caiu na cidade de Santos, em São Paulo. No avião também estava o assessor pessoal de Campos, Carlos Percol. O avô de Eduardo e principal referência política para ele, Miguel Arraes, morreu em 2005, também no dia 13/08.

Candidato à presidência Eduardo Campos estava no avião que caiu em Santos

Acidente aéreo na cidade de Santos

Segundo o comando da Aeronáutica, aeronave Cessna 560 XL prefíxo PR-AFA caiu por volta das 10 horas. Segundo nota oficial, a aeronave decolou do aeroporto Santos Dummond, no Rio de Janeiro, com destino ao aeroporto de Guarujá, em São Paulo.
Quando se preparava para pouso, o avião arremeteu devido ao mau tempo e o controle de tráfego aéreo perdeu o contato com a aeronave, ainda segundo a aeronáutica.
Segundo o Corpo de Bombeiros, há pelo menos 10 feridos, mas ainda não há informações sobre o estado de saúde das vítimas.
Eduardo Campos
O acidente preocupa a equipe do candidato à presidência Eduardo Campos (PSB), que tem agenda de campanha na cidade. Segundo a assessoria de imprensa do candidato, ele saiu do Rio de Janeiro às 9h30 com destino ao Guarujá. Desde então, não há contato com o candidato.
Segundo a Reuters, fonte do PSB teria confirmado que o jato seria o de Campos

Dilma e Lula vêm ao Sertão

Por Anderson Bandeira
Da Folha de Pernambuco, com Agência Estado
A presidente da República e candidata à reeleição, Dilma Rousseff (PT), visitará os municípios de Cabrobó e Floresta, no Sertão do Estado, no próximo sábado. Apesar da assessoria de Imprensa do PT nacional não confirmar, informações de bastidores ligadas à executiva nacional da legenda dão conta que o ex-presidente Lula também acompanhará a sua apadrinhada política nas visitas.
No Estado, ainda segundo informações de fontes em reserva, os petistas vêm para gravar imagens da transposição do rio São Francisco que eventualmente serão exibidas durante o guia eleitoral. No entanto, atos de campanha nas duas cidades não foram descartados. Em Floresta, inclusive, há a expectativa que os petistas se encontrem com o aliado e candidato ao Governo, Armando Monteiro Neto (PTB), que, coincidentemente, fará um périplo no final de semana pela região.
A vinda de Dilma ao Estado ocorrerá um dia antes do desembarque do presidenciável Aécio Neves (PSDB), que está previsto para chegar no município de Petrolina, no Sertão, no domingo. O tucano vem a Pernambuco discutir a ampliação da irrigação do Nordeste. Ainda ontem, o ex-presidente Lula e a presidente Dilma gravaram imagens juntos para o guia eleitoral. A filmagem ocorreu durante o lançamento do site “O Brasil da Mudança”. O evento, que foi realizado no Centro Internacional de Convenções do Brasil em Brasília, marcou o lançamento de uma página eletrônica do Instituto Lula que divulgará as realizações dos 12 anos de administração petista no Governo Federal.
A propaganda eleitoral no rádio e na televisão começa na próxima terça-feira e as imagens da solenidade de ontem devem ser usadas durante a chamada “campanha eletrônica”, principal aposta de Dilma para ser reeleita. Na semana passada, reportagem do jornal “O Estado de S. Paulo” mostrou que o tamanho da participação do ex-presidente na campanha de Dilma é motivo de divergências entre o PT e o Palácio do Planalto. Disposta a construir sua própria imagem sem a alcunha de “criatura”, Dilma resiste a ter Lula como âncora da campanha.
Para a presidente, o padrinho político deve ser o complemento, mas não o protagonista de sua corrida rumo ao segundo mandato. Contudo, pesquisas internas do PT contam a favor da presença de Lula. De todos os cabos eleitorais analisados, o ex-presidente tem o maior poder de transferência de votos, de acordo com os levantamentos que chegaram ao comitê da reeleição.

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Discurso de Sílvio Costa ao povo de Venturosa

Veja o vídeo com parte do discurso de Sílvio Costa em visita a Venturosa nesta terça 12 de Agosto.


video

SÍLVIO COSTA E MARCANTONIO DOURADO VISITA FEIRA-LIVRE DE VENTUROSA


O deputado federal, Sílvio Costa e o estadual Marcantonio Dourado, estiveram visitando nesta terça 12 de agosto  a feira-livre e o comercio local de Venturosa.
acompanhados de Lemos, Donizete Zacarias, Paulo Tenório, Luluilton tenório, Charlles de Tonho, Adriano Galindo, Dedé, Nego da Fazenda, Professora Lucia, Pitu e Toda equipe Vermelha e Azul de Venturosa.































segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Índice Band: Dilma tem 51% dos votos válidos



O Índice Band, que faz uma média ponderada das pesquisas de intenção de voto dos principais institutos brasileiros, indica estabilidade na corrida eleitoral, com oscilação positiva de um ponto a favor da presidente Dilma Rousseff (PT).

Segundo o Índice Band, Dilma passou de 50% para 51% dos votos válidos. Os outros candidatos somados têm 49% dos votos válidos. Se essa vantagem for mantida, Dilma seria eleita no primeiro turno.

Aécio Neves (PSDB) manteve 29% e Eduardo Campos (PSB) segue com 11%. O quarto colocado, Pastor Everaldo (PSC), mantém os 4% dos votos válidos.

Os demais candidatos somam 5%. José Maria (PSTU), Eduardo Jorge (PV), Luciana Genro (PSOL), Eymael (PSDC) e Rui Costa Pimenta (PCO) têm 1% cada.
Mauro Iasi, do PCB, e Levy Fidelix, do PRTB, não pontuaram.

Segundo turno
Num eventual segundo turno, Dilma teria 53% dos votos válidos e Aécio 47%. Em outra simulação, Dilma teria 56%, contra 44% de Campos.

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Acidente na saída de Sertânia resultou em vários feridos e dois mortos



Um acidente grave resultou nas mortes de um motorista e de um trabalhador. O fato ocorreu na manhã desta sexta-feira na saída de Sertânia sentido Afogados da Ingazeira. Segundo informações,um caminhão tanque chocou-se com outro que transportava material de construção para uma loja do gênero de Sertânia. Chovia no momento do acidente.
Morreram na hora o motorista do caminhão tanque e um trabalhador do estabelecimento de venda de material de construção que estava em outro caminhão, identificado como Expedito Silva.
Pelo menos uma pessoa já foi transferida para Arcoverde. Ainda de acordo com informações da rádio Pajeú, pelo menos mais quatro feridos foram levados ao Hospital de Sertânia. É grande a movimentação de ambulâncias no local.
Policia Militar e Corpo de Bombeiros estão no local. Há óleo diesel espalhado. A tragédia poderia ter sido ainda maior, mas por sorte não houve explosão e combustão do óleo.

Morreram na hora o motorista do caminhão tanque e um trabalhador do estabelecimento de venda de material de construção que estava em outro caminhão, identificado como Expedito Silva.
Pelo menos uma pessoa já foi transferida para Arcoverde. Ainda de acordo com informações da rádio Pajeú, pelo menos mais quatro feridos foram levados ao Hospital de Sertânia. É grande a movimentação de ambulâncias no local.
Policia Militar e Corpo de Bombeiros estão no local. Há óleo diesel espalhado. A tragédia poderia ter sido ainda maior, mas por sorte não houve explosão e combustão do óleo.



DO BLOG ARCOVERDE REPÓRTER.COM